sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

De quatro

Você não tem estabilidade emocional e ainda não está pronto
Você não está disponível e não está interessado
Então eu devo te querer

Só existem um milhão de maneiras para resolver isso
Mas você não vai fazer nada
Você gosta de me ver de quatro por você

Eu vou deixar meu amigos de lado e não conhecerei ninguém interessante
Eu vou mudar o meu jeito de vestir e de pensar
Eu vou esperar e me adaptar
Qualquer coisa para aliviar a sua rotina estressante

Você não é culto e nem sabe soletrar Lispector
Você não sabe beber e a acha que diversão é vomitar até as tripas
Isso só me atrai a você

Só existem um milhão de maneiras para que eu te esqueça
Mas eu nunca farei nada
Eu sei que você gosta de me ver de quatro por você

Eu venho estado assim por tempo de mais e agora estou estourada
Eu venho estado curvada, depreciada e amargurada
Eu cedi tudo o que podia e sofri calada
Qualquer coisa para me entreter nessa noite fria

Não demorará muito para que essa auto destruição acabe
Não demorará muito para que eu me reabilite
E, quando eu te deixar, minha auto mutilação acabará

Você não entende o conceito da palavra mulher
Você está errado ao pensar que sabe alguma coisa
Portanto eu apagarei você

Só existem um milhão de maneiras para que eu me recupere
E elas serão postas a prova agora
Várias vezes, a cada minuto, me esquecerei de você


Isso se eu não esquecer que não é certo ficar de quatro por você...


Um comentário:

Rafael Damaso disse...

malu... eu gostei desse mas nao sou mto chegado no estilo da repetiçao... nos textos q eu li vc costuma usar mto a repetiçao... tipo nesse q vc fica de quatro pelo cara o tempo todo huahuaha ou o narrador perdao hehe... mas eu achei mto boa a ideia desse... engraçado como as vezes a tentativa da repulsa atrai as pessoas :p